Como a psico-oncologia pode auxiliar o cuidador

Set2015

Antes de qualquer coisa é preciso salientar a extrema importância do papel do cuidador, seja ele familiar ou não, no tratamento do paciente de câncer.

 

1-Quem é o cuidador? A psico-oncologia se preocupa em quem é a pessoa doente, para assim poder auxilia-la a lidar com o próprio eu dela. A preocupação vai desde a alimentação, ao sono e como está o estado emocional. Em paralelo vem a mesma preocupação com o cuidador, pois são necessários que ele esteja bem para que auxilie de forma eficaz no tratamento do paciente, é preciso verificar se ele está dando conta emocionalmente e fisicamente nessa tarefa tão difícil.

2- Como orientá-lo? De acordo com o prognóstico, a psico-oncologia tem uma noção em como auxiliar e orientar a todos os envolvidos. Principalmente o cuidador, o olhar para ele deve ser bem atento para passar as orientações de forma clara, pois ele é uma ferramenta fundamental para ajudar o paciente. Ele fica tão abalado quanto o paciente, precisa de muita orientação, pois passa a ser um parceiro de ajuda ao tratamento, afinal é ele que está a maior parte do tempo ao lado do paciente.

3- Como colocar em prática? A parte humanizada do tratamento depende muito do cuidador, que ao receber o auxílio da psico-oncologia tem o papel de observar e ajudar o paciente na alimentação correta, no sono adequado e principalmente no psicológico, fatores de suma importância para o sucesso do tratamento.

 

*Dra. Maria Elena Marcondes, é psico-oncologista e psicoterapeuta do IRMEV.

ico
sair x

Bem Vindo ao FlexTool

Você está visualizando seu site em modo de edição.

Dica: o ícone representa edição de conteúdo. Clique no ícone caso deseje editar o conteúdo.